Comunicado Conjunto de 18/05/2018

Publicado em:

Colegas,

O Governo não nos deixa alternativa se não voltarmos a fazer greve. Vamos manifestar a nossa indignação pelo encerramento das negociações, aderindo massivamente à greve e à manifestação.
Não aceitamos a imposição de uma tabela salarial e transições que são um insulto aos TSDT. Exigimos equidade e paridade com outras carreiras da administração pública, que têm o mesmo grau de exigência habilitacional e profissional.

Vamos protestar contra o encerramento das negociações pelo Governo, sem o acordo dos Sindicatos:

  • Na tabela salarial
  • Nas transições e nos reposicionamentos sem contabilização do tempo de serviço da categoria detida
  • No sistema de avaliação de desempenho Exigimos que o Governo reabra as negociações, de imediato, com esta plataforma negocial.

Queremos continuar a negociar as matérias não acordadas, bem como as que não foram sequer negociadas:

  • Remunerações dos Coordenadores e dos Técnicos Diretores;
  • Abertura imediata de concursos;
  • Descongelamento imediato dos escalões para todos respeitando as normas aplicáveis aos TSDT;
  • Contratação imediata de mais TSDT;
  • Profissionais a integrar nas carreiras, titulação profissional e perfis de competências;
  • Consolidação de mobilidade dos TSDT em regime de CIT.

Vamos todos manifestar o nosso repúdio e indignação, com a decisão do Governo de encerramento do processo negocial.

A adesão neste momento é grande, já temos centenas de inscritos, de todo o País, para marcarem presença na Manifestação de Lisboa no dia 24.

Para podermos, em tempo útil, organizar os transportes e informar os locais definitivos de partida e paragens dos autocarros, teremos de encerrar as inscrições este fim-de-semana, até ao final do dia 20 de maio, devendo todos os colegas que ainda não se tenham inscrito, faze-lo o mais rápido possível.

Colegas a nossa voz tem de ser ouvida, vamos reivindicar a continuação das negociações, exigindo uma grelha salarial e transições que assegurem uma efetiva valorização salarial de todos os TSDT e que tenha “saltos salariais” em igualdade com as outras carreiras.

Apelamos à presença de todos os Colegas nesta manifestação, particularmente aos da grande Lisboa, dado ser mais fácil a vossa deslocação. Temos de ser o maior número de sempre de TSDT, a mostrar descontentamento na rua.

UMA VEZ MAIS, VAMOS COLOCAR OS TSDT NA AGENDA DO GOVERNO
VAMOS EXIGIR A REABERTURA DAS NEGOCIAÇÕES
A LUTA TEM DE CONTINUAR…
JUNTOS SOMOS MAIS FORTES
VAMOS TODOS À MANIFESTAÇÃO

AS DIRECÇÕES SINDICAIS

PDF – Comunicado Conjunto 18/05/2018



GREVE E MANIFESTAÇÃO NACIONAL 24 E 25 DE MAIO

Publicado em:

Colegas,
Conforme anunciámos no último comunicado, estes Sindicatos vão uma vez mais para a Greve, ontem mesmo, foi emitido um aviso prévio para os dias 24 e 25 de Maio. O Governo não nos deixa outra solução com a posição assumida na última reunião negocial do dia 02/05/2018, ao manifestar a vontade de encerrar as negociações.
A posição inflexível do Governo nas matérias em negociação relativas à carreira, nomeadamente a grelha salarial que querem impor e que não reflecte as legítimas expectativas dos trabalhadores para um desenvolvimento digno na carreira que, por sua vez, depende de um sistema de avaliação de desempenho que fixa quotas.
Na prática determina que cerca de 90% dos TSDTs não tenham viabilidade de subir da base da carreira, para mais, com uma expectativa de progressão salarial inferior à prevista na antiga carreira, bem como pretende manter uma gritante diferenciação com outros trabalhadores de outras carreiras da Administração Pública.
Os Sindicatos manifestaram a sua indignação e desacordo relativamente à tabela salarial proposta, às transições para a nova tabela, e à não contagem do tempo detido na actual categoria, etc.
Assim, deverá o Governo assumir a responsabilidade pelo facto de voltarmos à luta e ao protesto público, pois com a posição assumida não nos resta senão o nosso direito à indignação, imputando ao Governo as consequências no SNS de uma greve dos TSDT.

GREVE E MANIFESTAÇÃO NACIONAL COM DESFILE

Após auscultação aos colegas, em dois grandes plenários nacionais, os Sindicatos decidiram realizar, uma manifestação nacional com desfile no dia 24 para além da greve já anunciada.
A concentração vai realizar-se no Marquês de Pombal em Lisboa, pelas 14h30, com desfile para a Assembleia da República.

Na nossa Luta vamos protestar contra:

  1. A tabela salarial imposta pelo Governo que, cruzada com o sistema de avaliação e as quotas por categoria, implica que cerca de 90% dos TSDTs permaneçam na base da carreira toda a sua vida profissional.
  2. O facto da expectativa de progressão salarial dos TSDT, ser inferior à da prevista na antiga carreira dos TDT, por comparação com outras carreiras da Administração Pública, nomeadamente no Sector da Saúde.
  3. A não contabilização do tempo de serviço (CIT e CTFP) para efeitos de posicionamento nas novas carreiras, colocando-se na mesma posição os colegas com 2 meses ou 20 anos de antiguidade;
  4. O não descongelamento imediato dos escalões de todos os trabalhadores em regime de CTFP e CIT, cuja orientação final ainda se desconhece por parte da tutela;
  5. A concentração de cerca de 95% dos TSDTs na base da nova carreira (CTFP), impossibilitando os concursos por ausência de profissionais que reúnam as condições para se constituírem em júris;
  6. A imposição de um sistema de avaliação (SIADAP) que, em carreiras pluricategoriais (como é o caso), prolongam o período de estagnação salarial por mais 10 anos;
  7. A não abertura imediata de procedimentos concursais para as categorias superiores, após a transição para a nova carreira.

PLENÁRIOS

Foram realizados os dois grandes plenários no Porto e em Lisboa que permitiram aos colegas presentes ouvir por parte das Direções Sindicais o ponto de situação do processo negocial, e quais os motivos porque vamos de novo para a greve e para a manifestação pública com o objetivo de obrigarmos o Governo a continuar a negociar as matérias que não tiveram acordo e que entendemos fundamentais.
Os Sindicatos têm recebido pedidos de realização de mais plenários noutros locais do País, estando neste momento a ser feito um esforço de concertação de agendas entre os Dirigentes dos vários Sindicatos, para tentarmos responder em tempo útil.
Gostaríamos de realizar mais plenários, dado o resultado dos dois já efetuados ter sido muito positivo, permitindo-nos também discutir ideias de outras formas de protesto para além das programadas para os dias 24 e 25.

Brevemente vos daremos mais notícias.

Nota Final
Vamos preparar material de divulgação sobre o nosso protesto, para difundirmos junto do público em geral e dos utentes em particular.
Também estamos a preparar material como panfletos, cartazes de divulgação da greve e da manifestação, para podermos utilizá-los nos locais de trabalho.
Contamos com a vossa participação para divulgarmos ao máximo o nosso protesto e a nossa luta.
Colegas não podemos dar-nos por derrotados.

A nossa Luta tem de continuar.

Levaremos esta Luta até ao limite.

VAMOS TODOS FAZER GREVE, VAMOS TODOS À MANIFESTAÇÃO

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES

As Direções Sindicais

 

PDF – Pré-aviso de Greve 10/05/2018

PDF – Comunicado Conjunto – 10/05/2018



RUTURA NAS NEGOCIAÇÕES DAS CARREIRAS – GREVE A 24/25 DE MAIO

Publicado em:

Colegas
Hoje, uma vez mais, os Sindicatos reuniram com os representantes Governamentais.
O Governo, além de manter as suas propostas, apresentou um plano de faseamento, em quatro etapas, de aplicação das carreiras, entrando estas em vigor, em pleno, no dia 1 de Dezembro de 2019!
Perante esta posição do Governo os sindicatos consideraram que todo o processo negocial se conclui como uma farsa, representando as transições para a nova carreira num embuste monumental. Nesta mesma reunião, os Sindicatos informaram o Governo que irão decretar a greve para 24 e 25 de Maio.

PLENÁRIOS NACIONAIS

Em face deste desenlace negocial, os Sindicatos, em conjunto, irão realizar dois plenários nacionais, no Porto e em Lisboa, nos dias 5 e 8 de Maio, respetivamente.
Nestes plenários os Sindicatos irão apresentar todo o processo negocial produzido, bem como pôr à discussão as formas como deve ser prosseguida a luta.
PORTO – Dia 5/5 – 15 Horas – Sindicato dos Professores da Zona Norte – Rua Costa Cabral 1035 4249-005 Porto
LISBOA – Dia 8/5 – 20h30m – UGT – União Geral de Trabalhadores – Rua Vitorino Nemésio no 5 1750-306 Lisboa

Não podemos dar-nos por derrotados.

A nossa luta tem de continuar

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES

AS DIRECÇÕES SINDICAIS

 

PDF – Comunicado Conjunto – 02/05/2018



Actualização de dados – Lei n.º 7/2009

Publicado em:

Estimados Colegas,

Como é do conhecimento de todos e para efeitos do disposto na alínea g), do n.º 1, do Art.º 492, do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, na redação atual, o Sindicato terá de dar conta às Entidades Empregadoras dos nossos sócios que serão abrangidos pelos eventuais Acordos Coletivos celebrados entre estas Entidades.

Para este efeito, solicitamos aos Colegas a atualização dos seus dados pessoais, através deste link, para que nenhum sócio do SINDITE fique afastado da aplicação dos Acordos subscritos pelo SINDITE e o Governo, já que apenas os Colegas sindicalizados nos Sindicatos outorgantes do eventual Acordo, beneficiarão deste.

Cordiais Saudações Sindicais

O Secretariado Nacional do SINDITE